Vendas online crescem durante o Dia das Mães

Vendas online crescem durante o Dia das Mães

Para os negócios de e-commerce, o Dia das Mães teve resultados positivos. Segundo a E-Bit/Buscapé, do dia 23 de abril até o dia 7 de maio, o faturamento foi de R$ 1,62 bilhão. O crescimento registrado foi de 8%, em comparação à mesma época de 2015, quando o movimento foi de R$ 1,51 bilhão.

O tíquete médio subiu de R$ 380 para R$ 402 e o número de pedidos teve um aumento de 2%. No topo dos segmentos onde o comércio foi mais intenso, está “Eletrodomésticos”, responsável por 13% dos pedidos, seguido de “Moda e Acessórios”, “Livros”, “Telefonia/Celulares” e “Casa e Decoração”.

Mobile

Outro dado observado durante o Dia das Mães deste ano foi o crescimento do M-Commerce, que é o comércio realizado por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets. O aumento foi de 100%, alcançando 20,2% do total de compras online realizadas para a comemoração.

Segundo o balanço da E-Bit/Buscapé, foram 816 mil encomendas, em 2016, contra 407 mil, em 2015. Estes números mostram que os consumidores brasileiros aderiram ainda mais ao acesso à internet por meio destes tipos de aparelho e foram responsáveis por um crescimento significativo.

Expectativa

O faturamento ficou dentro da estimativa que a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, ABComm havia divulgado previamente. Segundo ela, os e-commerces poderiam faturar até R$ 2,2 bilhões durante o período e isto se deve, principalmente ao aumento da confiança que os consumidores estão aplicando nos sites.

A plataforma escolhida para a loja online e o atendimento ao cliente são pontos que fortalecem a relação entre as duas partes. Além disso, a qualidade e a confiança são os fatores mais citados para que haja uma fidelização por parte dos compradores, estratégia que também faz parte do marketing de uma empresa.

Investimento

Considerado um dos pontos fracos do comércio eletrônico, o número de reclamações a órgãos regularizadores ainda é alto. O Governo desenvolveu o Plano Nacional de Consumo e Cidadania, colocado em prática desde março, para propor normas e controlar as vendas online.

Alguns critérios devem ser seguidos pelos comerciantes, como a criação de canais de atendimento ao consumidor e possibilitar a desistência da compra em até 7 dias.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), nos primeiros lugares do ranking de reclamações estão a falta de um canal para atendimento ao consumidor antes, durante e após a compra e o cumprimento no prazo de entrega do produto.

Com isto, o investimento em uma plataforma de qualidade para o bom funcionamento, a manutenção e a atualização do seu e-commerce se tornou essencial para que o desempenho seja satisfatório. Por isso, a E-Smart oferece todos os recursos para que você assimilar e garanta o melhor para o seu site.